Quinta, 17 de Agosto 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

8 de outubro de 2013

MUITO CUIDADO COM CHEQUE SEM FUNDO

Um conselho que se aplica às finanças pessoais: não repita o mesmo erro duas vezes. O problema neste caso é quando o consumidor emite um segundo cheque sem fundo. Além de ter o nome incluído em um cadastro que restringe as operações entre os bancos, ele tem o fornecimento do talão suspenso, pode ter a conta depósito encerrada ou, até mesmo, dificuldade para abrir uma nova, em outra instituição financeira. O pior disso tudo é que o cliente pagará caro para sair dessa situação.

A dor de cabeça começa quando o nome é incluído no CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundos), regulado pelo Banco Central. Para sair dessa lista, além do cliente ter que pagar o valor do cheque, as instituições financeiras cobram dele uma taxa por folha. A menor tarifa é a do Banco do Brasil (R$ 29,18), as maiores são a do *Citibank (R$ 52) e Santander (R$ 51, 80 + taxa de serviço

Além disso, ainda é necessário pagar o valor de R$ 6,82, uma taxa do Banco Central para excluir o registro. No caso de um cliente emitir, por exemplo pela segunda vez, uma folha no valor de R$ 150, sem estar com dinheiro na conta, ele poderá pagar até R$ 208,82 (R$ 150 + R$ 52+ R$ 6,82) apenas para se regularizar. Todos os pagamentos são feitos no próprio banco onde existe a pendência. (R7)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário