Quinta,14 de dezembro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

17 de outubro de 2014

CHORO, REVOLTA, COMOÇÃO E INDIGNAÇÃO

Parentes de vítimas choram ao ouvir nomes da lista de confissão
Com o auditório da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-GO) lotado, inclusive com a presença de muitos familiares das vítimas mortas, a Polícia Civil apresentou ontem Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, suspeito de ser o serial killer que teria matado ao menos 39 pessoas em Goiânia, entre elas, 16 mulheres. A prisão do suspeito foi possível depois que uma força-tarefa da Polícia Civil foi montada para investigar o homicídio de 15 mulheres sem motivo aparente.


A cada nome citado na leitura feita pelos delegados de polícia, choro e indignação. O tom de revolta e a comoção geral marcaram alguns dos parentes de mulheres assassinadas neste ano em Goiânia. Algumas mães das vítimas preferiram não ir ao encontro, ocorrido na sede do governo do Estado, e foram representadas por outros parentes. Ao fim da reunião, os familiares continuavam emocionados ao reviver a dor da perda das jovens, todas com idades entre 13 e 29 anos. “É muita revolta, né? Volta tudo na sua cabeça, aquela dor toda que a gente viveu”, disse à reportagem, chorando, Lorena Oliveira Moura, 27, irmã da segunda vítima, Beatriz, 23.


Mãe de Wanessa, Sandra Oliveira Felipe, 46, contou ter passado mal desde o começo da manhã, quando ouviu o boato de que o autor do homicídio havia sido preso. “Desculpe, mas eu nem consigo falar direito com você. É muito difícil”.
Aloísio Fernandes Gomes Júnior, tio paterno de Ana Lídia, 14, a última vítima assassinada,, disse sentir um misto de alívio e comoção. “É que é uma dor que volta à tona. Mas serve de alento”. 
(Folhapress)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário