22 de maio de 2017

CARTA AO PRESIDENTE MICHEL TEMER, JORNAL DO BRASIL

“Senhor Presidente Michel Temer, o Jornal do Brasil há três dias pede a intervenção no grupo JBS por uma só razão: se foi com dinheiro do povo que a empresa adquiriu esse patrimônio e esse dinheiro vinha do BNDES, o patrimônio então não é dela. Por que, até agora, não houve uma intervenção no patrimônio físico e jurídico da JBS?

Senhor Presidente, se, como o senhor defende, Joesley Batista era um conhecido fanfarrão e um presidente não deveria receber um fanfarrão, por que autorizar o passaporte para o empresário sair do país e não comunicar o fato ao Ministro da Justiça, mesmo depois da conversa entre o senhor e o dono da JBS?

Senhor Presidente, se está identificado o rombo que o delinquente deu ao país, por que o Brasil não pede à Interpol sua prisão e sua devolução ao Brasil?

Senhor Presidente, se nós sabemos de tudo isso, dos deslizes do delinquente no BNDES, por que o banco não suspende e liquida seu crédito, executando sua dívida e tomando seu patrimônio?

Senhor Presidente, Joesley ter elogiado o Ministro da Fazenda sabendo da posterior divulgação do áudio não é uma crítica ao Ministro da Fazenda, é uma farsa como declaração. Não é normal que um conhecido fanfarrão possa ter em sua empresa funcionários que não têm identificado o tempo que trabalhou e que este nunca alertou ao país, nem ao governo, nem ao senhor. 

Senhor Presidente, Joesley só disse que a declaração sobre a compra juízes não era verdade depois de ter dito ao senhor que ele subornava juízes e procuradores. Por que, então, não se tomou imediatamente medidas contra esse delinquente? 

Senhor Presidente, nós torcemos pelo Brasil, nós todos queremos o Brasil para nossos filhos e nossos netos, mas temos que dar prioridade aos pobres. Não é só Joesley quem pratica a delinquência contra o país. E a Odebrecht, a Andrade Gutierrez, a Camargo Correa e todas aquelas e aqueles que fizeram o Brasil entrar nessa crise, a maior da história do Brasil? Eles são diferentes de Joesley? Aquele que levou dinheiro para Yunes pode ainda estar solto?

Senhor Presidente, não é a crise que é séria, o que é sério é a pobreza, e a pobreza é assistir todo dia a um novo delinquente ficar mais rico, com financiamentos do BNDES. Tudo isso é o sangue do trabalhador brasileiro sendo sugado. 


Não devemos esperar que essa reação parta do povo, pois se esperarmos que ela venha do povo, não seremos nós que seremos os juízes”.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário