Domingo, 22 de Outubro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

28 de março de 2017

COM O CRESCIMENTO DA VIOLÊNCIA, BRASILEIROS PROCURAM LANTERNAS X900 PARA SE PROTEGEREM

O aumento da criminalidade e leis mais restritas quanto ao porte de armas está fazendo com que brasileiros procurem formas melhores de protegerem a si mesmos e às suas famílias. 

A solução encontrada? Lanternas militares. Elas são cada vez mais populares como ferramentas de defesa pessoal para enfrentar a bandidagem e empresas como a X900 mal conseguem acompanhar a demanda. 

X900 é, no momento, o modelo mais popular de lanterna tática militar entre americanos e brasileiros por causa de seu modo estroboscópio potente, que permite que o usuário lance uma luz forte nos olhos de seu atacante, deixando-o completamente desorientado.

Antes utilizadas apenas pela elite das forças policiais como GOE e BOPE, essas lanternas agora estão disponíveis para cidadãos comuns brasileiros. A luz emitida é tão clara que pode ser utilizada para desorientar uma pessoa. Recentemente, políticos tentaram proibir a venda da Lanterna X900 - alegando tratar-se de uma arma - porém acabaram desistindo por pressão popular.

Se você já tirou uma foto à noite com flash, você sabe que demora um ou dois minutos para seus olhos se reajustarem. Agora imagina que esse flash é 100 vezes mais forte e pisca direto nos seus olhos. Você vai ficar cego e vai acabar perdendo seu equilíbrio também.

É isso que você terá com a lanterna tática X900. A função estroboscópio foi desenvolvida para acabar com a visão de quem te atacar; se eles não conseguirem ver o que estão fazendo, você vai poder escapar com facilidade – ou, se precisar, terá uma vantagem para ataca-lo.

Sem falar que, se você estiver em uma situação de emergência, qual a melhor forma de chamar atenção para si do que com uma lanterna potente que pode ser vista a até 3 quilômetros de distância?

Lanternas táticas militares como a X900 são usadas em todos os Estados Unidos por militares, bombeiros, policiais, pelos serviços de busca e pela guarda costeira – e, agora, por cidadãos comuns no Brasil. 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário