12 de novembro de 2016

GOVERNADOR PEZÃO DIZ QUE “RIO ESTÁ INGOVERNÁVEL”

A Organização Mundial do Comércio (OMC) considerou ilegais os subsídios concedidos pelo governo Dilma Rousseff em favor de alguns setores industriais, como automobilístico, eletrônico e siderúrgico, e que foram mantidos no governo Temer. Segundo a OMC, os incentivos fiscais de bilhões de reais ferem três regras de comércio. 

O Brasil vai recorrer, mas se perder novamente poderá ser retaliado pelos parceiros comerciais. O assunto está em destaque nos jornais deste sábado (12). Na Folha de S. Paulo: “OMC condena incentivo fiscal brasileiro para setor industrial”. No Estado de S. Paulo: “OMC manda Brasil rever incentivos fiscais dados para a indústria”. 

O Globo dá na manchete mais uma notícia do afundamento do Rio de Janeiro na crise das contas públicas. “Estado parcelará salário de outubro em até 7 vezes”.

O anúncio foi realizado pelo governador Luiz Fernando Pezão, após dizer que o Rio “está ficando ingovernável”. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a situação do Rio é a “mais urgente, emergente e aguda" de todos os estados. 

A ministra Rosa Weber de liminar em favor dos estados do Piauí e Pernambuco que querem receber parte do dinheiro da multa da repatriação. Com isso, o dinheiro foi bloqueado. 

Nos EUA, o Partido Republicano resiste ao plano de Donald Trump de ampliar os gastos públicos e os protestos contra o presidente eleito entraram no terceiro dia – agora, ainda mais violentos.

Outros destaques: o PT desistiu de fazer eleição direta para escolher a direção do partido; Na Câmara, o centrão se articula para disputar a presidência da Casa; Autoridades alertam para o risco neste verão: chicungunha; Por causa da Lava Jato, a Suiça está abrindo ação penal contra seus bancos, informa o Estadão. 
(G1)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário