12 de outubro de 2016

OPOSIÇÃO E SITUAÇÃO CORREM PARA DEFINIR CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DO PODER LEGISLATIVO DE MASSAPÊ

Bancada dos 13 vereadores eleitos para o quadriênio 2017/2020
Como acontece em todas as eleições municipais, logo após o conhecimento dos vereadores eleitos, e até em alguns casos no palanque da vitória, os vencedores já saem em busca de votos para viabilizar sua eleição ao Poder Legislativo para o biênio 2017/2018.

Em Massapê, a campanha dos candidatos à presidência da Câmara já começou. Nos bastidores, vereadores já se movimentam. Na base do prefeito eleito, Jacques Albuquerque, há vereadores “rachados”, conforme às últimas informações chegadas ao blog Massapê Indo e Voltando na manhã desta quarta-feira.
Após a confirmação do vereador recém-eleito Rogério Emanuel (PSDB) de que vai entrar na disputa pra valer; o atual vereador Paulo Vagalume (PSDB), reeleito para o próximo quadriênio, já andou falando aos ouvidos de interlocutores, de que já está na hora de ter a sua vez e também vai "brigar" para ser presidente. Isso sem se contar com a intenção de outro vereador dentro do PSDB, que também teria sinalizado seu nome. Há por parte das principais lideranças do partido uma corrente que tem preferência por Paulo Henrique Canuto Machado, dada a honra da fidelidade à promessa de sê-lo (ser ele) o candidato do partido que indicou a vice. 

Para quem não lembra, Paulo Vagalume foi eleito pela coligação de Jacques Albuquerque, filiado ao PDT, eleito por esta sigla, em 2000. Na época, o vereador traiu Jacques ao aderir à administração Nilson Frota, ano seguinte.

Como formador de opinião e por conhecer um pouquinho a história política de Massapê, entendo, entretanto, que o vereador Rogério Emanoel não terá o apoio oficial de Jacques e nem de Nilson Frota à presidência da Câmara, por mais que tenha sido eleito na coligação “Unidos para vencer”. Por escolha, é mais fácil os caciques do PSDB preferirem Paulo Vagalume a Rogério Emanoel. Sob a proteção de Jilsim, Luiz Pontes e até de Nilson Frota, Paulo Vagalume tem a simpatia do trio tucano.

Porém, o futuro prefeito é Jacques, não é Jilsim, não é Luiz Pontes, nem é Nilson Frota. Estes, foram apenas coadjuvantes, sendo que Luiz Pontes entrou timidamente na reta final da campanha. Quem sempre precisa da maioria da Câmara é o prefeito, não é o vice.

Por outro lado, resta saber quem será o candidato de Jacques? Como o conheço, não deverá admitir “faca no peito” dele. Se não aceita nem de mãe e de pai (com devido respeito aos dois e à familia) vai consentir alguém indicar um candidato à presidência sem o seu aval?

Na humilde análise deste blogueiro, o candidato de preferência do pmdbista é sem sombra de dúvidas Dr. Estevão (PTN), campeão de votos com 1.662 sufrágios. Acontece, porém, que  em conversa conosco e na presença de três vereadores eleitos da coligação de Antonio José Albuquerque (PP), Estevão Farias Vale foi enfático ao dizer que não serão suas pretensões ser candidato à Presidência da Câmara, tampouco Secretário de Saúde.  Prefere, sim, ser escolhido Diretor do Hospital Senador Ozires Pontes.

Coligação Massapê no Caminho Certo
Com esta, a lista oficial formam sete vereadores. Há reflexos intencionais para três entrarem na disputa pela presidência. Destaque para Luiz Carlos, Auteri Moura, Carlos Michel e, correndo por fora, Adriano Albuquerque (Potim). Apesar de serem potenciais candidatos à Presidência da Câmara, da mesma forma aos demais: Cezinha, Messias Arruda e Gersim têm os mesmos direitos. Percebemos com muita frequência o desejo de união entre eles, de um chegar à Presidência do Legislativo. Há um sentimento claro e evidente de continuarem tendo a confiança do eleitorado, que os colocaram para fazer oposição, a partir de janeiro do próximo ano. Isso tem de ser feito e os eleitores do 11 acreditam. 

Extraoficialmente, chegou ao nosso conhecimento, ainda precisando ser confirmado com o personagem principal, o guerreiro, o baluarte da campanha "Massapê no Caminho Certo" - pois o nosso contato telefônico com ele foi último dia 4 de outubro, - Zezinho Albuquerque teria demonstrado não interferir diretamente na disputa. No cenário atual e tendo a maioria dos vereadores eleitos no último pleito, o Presidente da Assembleia deposita confiança nos sete vereadores da citada coligação.

Da mesma forma, o prefeito Antonio José deve interpretar o mesmo sentimento de que os edis eleitos na coalizão se unifiquem pelos seus valores e qualidades adquiridos na Câmara,  ao fazerem oposição a partir de 2017. Os sete vereadores precisam retomar o ritmo de trabalho, tocar pautas, propostas e projetos realizados por eles, essencialmente fazer valer à vontade de seus eleitores e aos 10.764 sufrágios para o atual prefeito de Massapê, até 31 de dezembro de 2016. 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário