Sexta, 20 de Outubro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

12 de janeiro de 2016

DUAS PRÁTICAS, DOIS ABUSOS E A POPULAÇÃO EM POLVOROSA SEM PODER FAZER NADA

A violência continua fazendo suas vítimas em Massapê. Ontem, por exemplo, postamos aqui no blog o assalto à mão armada sofrido pelo amigo Clóvis Albuquerque, trabalhador e conceituado comerciante da cidade, no ramo de peças para motos e bicicletas.

Quem transita pelas ruas de Massapê e distritos não tem dificuldade de se deparar com assaltantes que agem à luz do dia em vários pontos. 

Estou entre aqueles que defendem medidas enérgicas de combate à criminalidade, principalmente a assaltantes que apavoram, humilham e causam terrorismo psicológico às suas vítimas.

Apesar das dificuldades, e o contingente ser pequeno, a polícia de Massapê precisa evitar com urgência os transtornos sofridos pela população, principalmente aos comerciantes. Uma das formas eficazes é abordar motociclistas que andam de dia ou à noite com capacetes. Não existe determinação local que prevaleça aos condutores andarem com o equipamento, embora seja Lei do Código de Trânsito Brasileiro, mas algumas cidades do interior do estado não adotam o sistema. Então, aqui, é imprescindível, é interessante à polícia fazer rotineiramente revistas na malandragem.

A maioria da bandidagem está realizando assalto de capacete, armada de revólver. Cadê o juiz, o promotor para serem mais rígidos e severos com a prática de roubos e assaltos, neste município? Que saudade da época de Dr. Fernando Teles de Paula Lima! Além de morar na Comarca de Massapê, era sempre ativo e agia com vigor para evitar efeitos malefícios à sociedade. À época sempre se via o juiz dando umas voltas pela cidade, procurando saber o que estava acontecendo, acompanhado da polícia ou não. 

OUTRA QUESTÃO A DESTACAR NESTA MATÉRIA
Uma ação que vem se tornando cada vez mais comum e incomodando o sossego alheio são os barulhentos canos de escape em motocicletas. Ao extraírem o miolo do silencioso, ao furarem o escapamento do cano da moto produz estampido muito forte. Retirar o miolo do silencioso, é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro Apesar disso, motociclistas não estão nem aí, porque sabem que as autoridades da segurança, também não estão nem aí. Estar previsto em lei que para se adulterar um veículo é preciso de autorização expressa do Detran, muitos motoqueiros insistem em andar na clandestinidade.

Por outro lado, a população é que se sente impotente diante da prática abusiva e muitos massapeenses se assustam, principalmente se estiverem dormindo. 

A cena muda e o sossego vai embora e, o pior, a gente ser obrigado a conviver com esse barulho estridente, às vezes altas horas da noite, enfiando aos nossos ouvidos, provocando perturbação, com se fôssemos obrigados a ouvir e ficar quietos. A quem denunciar? Cadê a fiscalização do silêncio?

Isso acontece na sede e nos distritos. O blogueiro presencia aqui e na Zona Rural. Na Tuína, por exemplo, é constante esse abuso.

Não há autuações, não há fiscalizações. Os trabalhos de abordagens para inibirem essas práticas são inexistentes. 

Perturbar o trabalho ou o sossego alheio é contravenção penal previsto em Lei. Viu autoridades?
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Amigo Aldênis. Acho meio sem sentido essa ideia da polícia "abordar" motociclistas que andam de capacete. Ora, andar de capacete não apenas é lei como é uma necessidade, questão de segurança. Eu por exemplo só ando de capacete em respeito primeiramente a minha vida. Nem por isso sou bandido. Outras medidas creio que caberiam melhor.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Gilson Rosendo, muito obrigado pela sua participação e pelo comentário aqui no blog. Sinta-se à vontade.

    ResponderExcluir