Sexta,15 de dezembro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

22 de dezembro de 2015

AGENTES DE TRÂNSITO PODEM MULTAR POR QUALQUER INFRAÇÃO, MAS NÃO PODEM COMETER ABUSOS

Imagem meramente ilustrativa
A respeito da abordagem de agentes de trânsito no município de Massapê, sábado e domingo, respectivamente, o blog Massapê Indo e Voltando vem se manifestar no seguinte aspecto: 

Muitos não sabem, mas há uma quantidade grande de motos circulando no município, e de maneira irregular. Para você ter ideia: na Zona Norte do Estado, Massapê só estar perdendo pra Sobral em número de motos.

Aqui, são carros e motocicletas roubados; veículos com documentação atrasada; menores dirigindo sem nenhum conhecimento de Código de Trânsito; condutores sem habilitação; adolescentes levantando pneus de motos; entre outros atos infracionais.

Há, sim, necessidade da abordagem do agente de trânsito nestas situações embaraçosas, como autos de infrações, multas, impedimentos, restrições, para coibir, principalmente, furtos de motos.  

Mas o modelo como a polícia (que não é a de Massapê) está realizando as autuações não é correto, e por isso estamos contestando, em nome daqueles que me procuraram, sem se contar o que testemunhamos. A fiscalização tem que permanecer em locais das CEs, podendo até ser dentro da cidade, contanto que não saia do local para perseguir motociclistas nos bairros e lugarejos.

Domingo, presenciamos uma cena esdrúxula, truculenta e arbitrária. Quatro policiais a serviços do Detran perseguindo um senhor em alta velocidade, com freadas bruscas, como se a pessoa fosse um bandido, o que não era e temos como provar.

Diante daquele episódio, cheguei à conclusão de que faltavam aos agentes, postura, conduta e técnica de autuação. Essa foi à impressão que tivemos dos policiais. Não obstante à constatação presenciada por esse blogueiro, levou-nos a crer que não é modo de se abordar ninguém, seja lá quem for. O policial ou qualquer tipo de agente ao interpelar o infrator de trânsito tem que ter civilidade. Não pode e nem deve apavorá-lo ou intimidá-lo.

Repito: assustar o motociclista com reações extremadas, freadas bruscas e até apitos estridentes, para mim é sensação de estar fazendo besteira e que requer por parte do órgão, ao seu profissional, ponderações, recomendações, educação e muitos cuidados.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário