Domingo, 22 de Outubro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

6 de outubro de 2014

DEPOIS DO RESULTADO DAS ELEIÇÕES, EM MASSAPÊ, EIS AÍ A REALIDADE DE UM SUCINTO RELATO

O site Massapê Indo e Voltando - O primeiro que faz por você é o primeiro a colocar você em primeiro lugar - faz um sucinto relato ao resultado final das eleições em Massapê, tendo em vista os números já apresentados em nosso portal de informação.

A eleição, em Massapê, foi uma das mais acirradas já vistas nos últimos anos. Entre brigas, intrigas, traições, infidelidades e sob a inacreditável chantagem, apelação e baixaria, a oposição transformou a campanha eleitoral, do início ao fim, principalmente em sua fase decisiva um contraponto nesta história. A oposição se uniu para derrotar Antonio José (prefeito) e Zezinho Albuquerque (candidato à reeleição). Pai e filho sofreram revés de muita atrocidade, malvadeza, perversidade e adversidade no facebook e em blogs. Sem argumentos fundamentalizados, essa pequena parcela destilava seu veneno através do ódio, da arrogância, do orgulho e da indiferença.

Ontem à tarde, por exemplo, um grupo formado por dez pessoas ligadas ao PSDB, ao me avistarem na função que exercia como Delegado da coligação a qual defendo, gritaram em alto e bom som: É Jacques, é peia! Como que me dissessem "transbordando de alegria”, que o ex-prefeito de Massapê obteria o primeiro lugar, passando à frente de Zezinho e Carlos Matos. Sem dizer nada, simplesmente, fiz sinal de positivo para eles.

Praticamente, a campanha foi polarizada no campo da proporcionalidade. A briga era para quem teria mais votos. Partidários históricos do PSDB deixaram de votar em seus próprios candidatos, indicados por Luiz Pontes, para votarem em Jacques Albuquerque. Tudo por conta da rivalidade e divergência política entre a família. Ou seja, a oposição de olho na eleição municipal para 2016, queria que Antonio José e Zezinho Albuquerque fossem derrotados, desmoralizados e aniquilados, nesse pleito.

Nada contra Jacques Albuquerque, por qual figura tenho o maior respeito e nada contra Luiz Pontes, e ainda o senhor Nilson Frota. Mas, os dois últimos sempre foram ferrenhos adversários políticos do primeiro. Na reta final da campanha, em decorrência da separação política na família, Jacques e Nilson chegaram ao ponto de tirarem foto juntos e abraçados, aí santa paciência!

Quem ganhou e quem perdeu no resultado das eleições2014, em Massapê

Jacques Albuquerqueseu principal desafio era vencer no município para ganhar fôlego às eleições de 2016. Ele queria ser o primeiro a desbancar a candidatura do seu irmão Zezinho Albuquerque e enfraquecer o sobrinho politicamente.  Apostou naqueles que estariam “insatisfeitos” com a atual administração e com o desleixo político de Luiz Pontes, por ter abandonado o barco psdbista, após o resultado catastrófico de 2012, quando o atual prefeito Antonio José Albuquerque venceu o seu candidato pela maioria de 1.070 votos.
Indiretamente, sem citar nomes, Jacques perfilou vários comentários no face, insinuando que o seu irmão não seria capaz de vencê-lo na disputa local. A ponto de Jacques assim se expressar na sua página no facebook:
“Num piscar de olhos!
Cinco de outubro
Às cinco da tarde é chegado o momento dos Cientistas Políticos de nossa terra!
E dos puxa - sacos!
Dirão eles!
O que foi isso?
Não pode! Tem alguma coisa errada!
Nós somamos, dividimos, multiplicamos e o resultado deveria ser outro!
Ai meu Deus, o que direi para o chefinho?
Tudo? Não, é melhor não falar nada!
Aguentar o "cagaço'', Calado!
Graças a Deus, o choro existe!
Num piscar de olhos!
Amém!”.

Luis Pontes - Sem dúvida, Luis Pontes foi o maior perdedor destas eleições, tendo em vista que seus candidatos apresentados de última hora ficaram em 3º e 4º lugares, respectivamente. Com 2.310 votos, Carlos ficou na quarta colocação, enquanto Raimundo Gomes de Matos obteve 3.313 sufrágios, ficando na terceira colocação. A síntese que melhor define o drama político do PSDB, a nível municipal, foi a ausência de Luiz Pontes a seus aliados, deixando-os desgarrados a ponto de uma das maiores lideranças do seu partido, Fernando Antonio, migrar de vez em torno de outro candidato, não obedecendo às orientações políticas de seu antigo chefe. Possivelmente, entre essas e outras duras realidades, Luiz Pontes tenha amargado uma grande derrota dos seus candidatos ao cargo proporcional.

Fernando Antonio – que nem mineiro, comeu pelas beiradas! Foi um grande desafiador para àqueles que se diziam líderes, inclusive o seu candidato chegou a superar a votação dos candidatos a deputados federais de Jacques e Luiz Pontes, o que lhes causaram um grande constrangimento político. O que isso determina, por ora, é a garantia de liderança do empresário Fernando Antonio, que neste cenário político pode “brigar” por um lugar ao sol nas eleições de 2016.

Antonio José - Incontestavelmente Antonio José foi o maior vencedor nestas eleições. Além de consolidar a vitória de Zezinho Albuquerque e Leonidas Cristino, em primeiríssimos lugares, ele deu uma resposta direta aos que lhe perseguiram durante todo o pleito eleitoral. De todos os cantos e de todos os lados viam críticas à sua pessoa, à sua gestão. O raciocínio que nos leva a esse prognóstico é que Antonio José “quebrou as pernas” dos seus mais contundentes adversários, consolidando a transferência de votos para os seus candidatos ao cargo proporcional, apresentando a seguinte votação: Zezinho Albuquerque(PROS) -   5.841 e Leônidas Cristino(PROS) - 5.213. Ou seja, os eleitores prosistas votaram casadinhos. Nesse contexto, as profecias foram por água abaixo, entre àqueles que se posicionavam contra os candidatos apoiados pela atual gestão. Essa turma sofreu duro revés, baseado nos prognósticos das oposições juntas, que, por sinal, hoje acordaram em “berços esplêndidos” muito caladinhos.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário