Segunda, 21 de Agosto 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

17 de dezembro de 2012

LEIA COM MUITA ATENÇÃO O E-MAIL ENVIADO AO BLOG MASSAPÊ INDO E VOLTANDO: "DOR DO PARTO"

Com uma folha de pagamento de pessoal terceirizado (funcionários não concursados), extremamente comprometida, logo após o resultado das urnas nas eleições municipais dia 7 de outubro de 2012, que sufragou por expressiva diferença de votos, a vitória da coligação “A Força do Novo Tempo”, a Prefeitura Municipal de Massapê promoveu uma avalanche de injustas demissões, com direitos trabalhistas desrespeitados, no sentido de enxugar a folha de pagamento da máquina administrativa e entregá-la mais ou menos nos moldes, aos futuros gestores, os primos carnais Antonio José Albuquerque e Kelvya Albuquerque, no dia 1º de janeiro de 2013. É evidente que, alguns setores estão sendo prejudicados, em detrimento da qualidade da prestação de serviços à população, pela falta de funcionários. A título ilustrativo, dois serviços básicos visíveis aos olhos do cidadão comum, como a coleta de lixo e a saúde pública, estão literalmente entregues as moscas e as baratas. É público e notório, um rol de funcionários fantasmas que recebiam proventos todo santo mês, sem oferecer sua contra prestação de trabalho. Sem falar dos funcionários tidos por “marajás”, que recebiam salários vultosos, também sem levantar uma palha. É uma vergonha municipal! E um colega vem a público e diz que: “...isto em absoluto não macula a imagem da excelente administração do prefeito João Pontes”. Como que não macula? Mancha, suja, enxovalha e infama a atual administração tucana, ainda que isto fosse um caso isolado, que não é. Que fosse um simples erro, que também não é. Em um erro, a princípio se imputa tão somente a culpa, diferentemente quando se pratica atos administrativos de forma dolosa e de má fé, constante, habitual e reiterada. São denúncias graves de descaso, desmonte e dilapidação do patrimônio público que devem ser apuradas com rigor. O mínimo que o cidadão massapeense anseia: A moralização da Coisa Pública que deverá ser posta em prática a partir do dia 1º de janeiro vindouro; a famigerada concentração de renda que deverá se extirpava de vez com a nova gestão que se avizinha; “A Força do Novo Tempo”, que depositará uma pá de cal nesse buraco negro chamado “A idade da Pedra”. Já dizia o dramaturgo Nelson Rodrigues, que, se empurrar a poeira para debaixo do tapete, não se mostrará os podres da sociedade. E após a posse do prefeito eleito, decerto, muita poeira será encontrada acumulada, escondida debaixo do velho tapete. Mentira tem pernas curtas. O PSDB nos níveis municipal, estadual e federal representa o símbolo de uma época que ficou para trás, que nem poeira. Plagiando o título de um conhecido filme americano intitulado “O Último dos Moicanos”, o senhor prefeito João Pontes Mota se despede dos massapeenses sem deixar saudades, pelo menos para a esmagadora e histórica maioria dos seus munícipes eleitores (1078), que até hoje cantam um grande sucesso de Roberta Miranda: “Vá com Deus, você não mora mesmo aqui, vá com Deus, e não tente mais voltar aqui, nunca mais...”. Eu sei que em breve, Vossa Excelência comemorará um Natal sem luz e uma passagem de ano regados com champanhe amargo e caviar rançoso, levando a tiracolo, centenas de insatisfeitos desempregados, cujos cargos eram mantidos a cabresto, para sua coligação partidária tentar se perpetuar no poder, ainda que, aos trancos & barrancos. A verdade é que, quem decidiu remar contra a maré vermelha, sucumbiu à esta. Mas é isto mesmo, um dia é da caça; o outro, do caçador. Outro velho adágio popular diz que “uma moeda se paga com outra”. Lembremo-nos, portanto, de um triste episódio, quando em 1997 entregamos a sede do Paço Municipal à luz de vela. Os senhores, agora, com gosto de sangue e de vingança também, estão dando-nos o merecido troco, apesar que, um erro não justifica o outro. Pois bem, vasculhando no fundo do meu oportuno e histórico Baú das Recordações (é o novo!), notadamente fazendo referência ao trabalho filantrópico de uma conceituada parteira – Dona Laura Aguiar (de saudosa memória), mulher de caráter, digna de ser apresentada como modelo, sem diploma acadêmico de Obstetrícia, mas uma parteira nata com o dom divino que Deus lhe deu, dotada de inteligência suficiente para o exercício do seu nobre ofício, com rara sensibilidade humanista, que nas décadas 40, 50 e 60 se notabilizou prestando relevantes e indispensáveis serviços de Saúde Pública às parientes massapeenses, me reporto aos dias atuais, para consternar a minha solidariedade e expressar o meu mais profundo e respeitoso sentimento, de que a dor do parto é grande, mas agora vocês vão ter que partir...
Ferreirinha, é historiador e escritor.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. ALDENIS, PARABENIZE O FERREIRINHA PELA SUA MATÉRIA, EU TAMBÉM FUI UMA DAS VÍTIMAS QUE SOFREU COM PERSEGUIÇÃO E TAMBÉM FUI POSTA PRA FORA DA PREFEITURA SEM NENHUM DIREITO, E É PORQUE FALAVAM TANTO DA ADMINISTRAÇÃO DO ROBERIO E JACQUES

    ResponderExcluir
  2. Na atual administração tem gente boa, mas tem gente que tem a marca de perseguir as pessoas, principalmente os funcionários que queriam votar no antonio josé. Se a gente não fosse para as passeata deles a gente era visado. Me lembro como se fosse hoje, uma secretária do joão pontes fazia uma espécie de chamada para saber aquele que não fosse seria punido.

    ResponderExcluir