Quinta,14 de dezembro 2017: Aqui estão as principais notícias para você começar o dia bem-informado

30 de setembro de 2009

SOBRALENSES SENTEM-SE OFENDIDOS COM MATÉRIA PUBLICADA PELA REVISTA VEJA

A Edição da Revista Veja nº 2132, desta semana, traz uma publicação falando de Sobral com o título "The United States of Sobral", Os Estados Unidos de Sobral. A matéria faz uma referência à cidade, a seus costumes, origens e tradições.
Li a reportagem e segundo a Revista Veja, a nossa capital da zona norte é uma cidade que cultiva estrangeirices com tal exaltação, sendo conhecida no resto do estado pelo título da referida reportagem. O repórter da Revista, Leonardo Coutinho, diz que em Sobral "circulam ônibus escolares americanos (originais), que, além de serem amarelos como os que se veem nos filmes, ainda trazem a inscrição em inglês: School Bus. Lá, pratica-se beisebol – ou uma versão rudimentar do jogo, segundo a confederação brasileira desse esporte. Lá, o Kentucky Derby, uma das mais tradicionais competições do circuito do turfe dos Estados Unidos, inspirou a criação do Derby Club Sobralense. A diferença é que, sob o sol do agreste, os jóqueis treinam com calção de futebol. Lá, a população apelidou o parque da cidade de "Central Park", parodiando seu congênere nova-iorquino. A veia, digamos, cosmopolita de Sobral não é nova, mas ganhou força entre 1997 e 2004, quando a cidade foi administrada por Cid Gomes, do PSB, o atual governador do Ceará. Desde então, já há quem veja semelhanças entre o Rio Acaraú, que corta a cidade, e o Hudson, que banha Nova York".
O nobre jornalista acrescenta, ainda, que o município antes de ser administrado pela família Ferreira Gomes, a cidade "mimetizava europeísmos, por obra e graça (muita graça) de um bispo que mandou e desmandou naquelas bandas durante a primeira metade do século XX: dom José Tupynambá da Frota. Ele queria conferir a Sobral um ar francês e, entre outros lampejos geniais, teve a ideia de homenagear Nossa Senhora de Fátima com um monumento inspirado no Arco do Triunfo, erguido em Paris por Napoleão Bonaparte, para comemorar suas vitórias militares. O monumento está localizado na Avenida Boulevard do Arco. Como tem bares e restaurantes, os sobralenses fazem uma associação imediata. Ela lembra a "Champs-Elysées de Paris", diz o colunista social Arnaud Cavalcante. Sob o domínio do socialista Cid Gomes, Sobral passou a se espelhar nos Estados Unidos. Ele começou a imaginar a aparência globalizada de Sobral em 1996, ainda na condição de deputado estadual. Escalado pela assembleia cearense para a árdua tarefa de fazer um périplo(Navegação à volta de um continente) pelas câmaras legislativas americanas, Cid voltou dos Estados Unidos cheio de projetos. No ano seguinte, ao assumir a prefeitura, passou a pô-los em prática.
Seu irmão mais velho, Ciro Gomes, ajudou-o a dar os primeiros passos na americanização de Sobral. Em 1998, Ciro, que frequentou um curso de inglês básico na Universidade Harvard, convenceu uma fundação a doar 36 school buses usados para a prefeitura do irmão. O município precisou arcar somente com o frete dos veículos. Pena que houve um inconveniente: no Ceará, não existem peças nem mecânicos especializados para esse tipo de ônibus. Por isso, eles foram sendo encostados à medida que precisavam de manutenção. Dos 36 ônibus, só três ainda estão em circulação. Numa boa iniciativa, inspirada pelo empenho acadêmico do irmão mais velho, o então prefeito Cid resolveu que daria proficiência em inglês aos alunos das escolas públicas. Para tanto, instalou o Palácio de Ciências e Línguas Estrangeiras em um casarão neoclássico onde funcionou aquele que foi o clube mais elegante da cidade, o Palace. Construiu também um museu em memória da missão de cientistas ingleses que foi a Sobral em 1919, para tentar comprovar a teoria da relatividade por meio da observação de um eclipse. Hoje, o prédio abriga um relativamente bom observatório astronômico".
A publicação desta matéria vem causando um reboliço total no meio político cearense. Tanto é assim que nesta semana na Assembléia Legislativa do Ceará, os deputados que dão apoio político a Cid, saíram em defesa da família Gomes e da cidade de Sobral.
O deputado estadual Zezinho Albuqueque criticou o repórter, responsável por escrever a reportagem “The United States of Sobral”, publicada na revista Veja. Segundo o deputado, a matéria maculou a imagem de Sobral, região Norte do Ceará, além não condizer com a realidade do Município.
"Só tenho uma coisa a dizer sobre esse jornalista: ele estava de porre. Ele não sabe onde é Sobral, nunca andou em Sobral, não conversou com as pessoas de Sobral. Na reportagem ele debocha dos sobralenses, dos cearenses e até dos brasileiros", declarou.
Zezinho Albuquerque concluiu seu pronunciamento da tribuna da Assembleia afirmando que os cearenses devem conhecer a cidade de Sobral e toda a sua história de desenvolvimento. "Hoje aquela Região Norte inteira é bastante desenvolvida graças ao povo trabalhador que lá habita. Para mim essa reportagem não passa de perseguição ao deputado Ciro Gomes e esse tipo de coisa vai continuar acontecer até o dia da eleição".
Em função do grande estardalhaço, um grupo de moradores de Sobral pretende realizar forte manifestação contra a revista Veja, em protesto à reportagem publicada. Para a população, a imagem e a história do povo sobralense foram atacadas.
O ato público está previsto para o próximo sábado, dia 3 de outubro, no Beco do Cotovelo, em Sobral.

25 de setembro de 2009

VEREADOR DO PSDB MAIS VOTADO DO BRASIL EM 2008 FILIA-SE AO PSB

O vereador Gabriel Chalita enviou, no fim da tarde desta quinta-feira (24), um comunicado oficial ao presidente do Diretório Municipal do PSDB, José Henrique Reis Lobo, anunciando sua desfiliação do partido. A correspondência tinha como anexo uma nota distribuída à imprensa em que o vereador explica as razões de sua decisão. A mesma foi encaminhada por Lobo à secretaria geral do partido para as devidas providências “visando a exclusão do interessado dos quadros de filiados do PSDB”. Na ocasião, ele declarou que não faria comentários sobre a saída do vereador. Chalita foi o vereador mais votado do Brasil em 2008 e havia antecipado a ÉPOCA que tinha respeito por Dilma Rousseff como candidata para a Presidência da República. Isso iria contra o suposto candidato tucano José Serra. “É o discurso típico de quem já faz as malas e limpa as gavetas para uma mudança vista como certa em São Paulo e também em Brasília”, escreveu o diretor da sucursal de Brasília, Paulo Moreira Leite. Segundo a reportagem, Chalita começou a conversar com o PSB, partido que, no plano federal, integra a base de apoio ao governo Lula.
Fonte: Revista Época.

22 de setembro de 2009

POR QUE AS PESSOAS FALAM TANTO?

Achamos o texto abaixo muito legal, e postamos para os nossos leitores com muito carinho.
Vivemos num mundo de surdos sem deficiência auditiva
É a escuta que nos leva ao mundo. E é a escuta que nos leva ao outro. Quando não escutamos, nos tornamos solitários, mesmo que estejamos no meio de uma festa, falando sem parar para um monte de gente. Condenamo-nos não à solidão necessária para elaborar a vida, mas à solidão que massacra, por que não faz conexão com nada. Não escutamos nem somos escutados. Somos planetas fechados em si mesmos. Suspeito que essa é uma época de tantos solitários em grande parte pela dificuldade de escutar.
Basta observar. As pessoas não querem escutar, só querem falar. Depois de muita observação, classifiquei cinco tipos básicos de surdos. Há aqueles que só falam e pronto. Emendam um assunto no outro. Fico prestando atenção para detectar quando respiram e não consigo. Acho que inventaram um jeito de falar sem respirar. E ganhariam mais dinheiro se entrassem em algum concurso de tempo sem oxigênio embaixo d’água. Aí, pelo menos, ficariam quietos por um momento.
Existem aqueles que falam e falam e, de repente, percebem que deveriam perguntar alguma coisa a você, por educação. Perguntam. Mas quando você está abrindo a boca para responder, já enveredaram para mais algum aspecto sobre o único tema fascinante que conhecem: eles mesmos.
Há aqueles que fingem ouvir o que você está dizendo. Você consegue responder. Mas, quando coloca o primeiro ponto final, percebe que não escutaram uma palavra. De imediato, eles retomam do ponto em que haviam parado. E não há nenhuma conexão entre o que você acabou de dizer e o que eles começaram a falar.
Existem aqueles que ouvem o que você diz, mas apenas para mostrar em seguida que já haviam pensado nisso ou que sabem mais do que você, o que é só mais um jeito de não escutar.
Há ainda os que só ouvem o que você está dizendo para rapidamente reagir. Enquanto você fala, eles estão vasculhando o cérebro em busca de argumentos para demolir os seus e vencer a discussão. Gostam de ganhar. Para eles, qualquer conversa é um jogo em que devem sempre sair vitoriosos. E o outro, de preferência, massacrado. Só conhecem uma verdade, a sua. E não aprendem nada, por acreditarem que ninguém está à altura de lhes ensinar algo.
É claro que há um mix das várias espécies de surdos. E devem existir outras modalidades que você deve ter detectado, e eu não. O fato é que vivemos num mundo de surdos sem deficiência auditiva. E uma boa parte deles se queixa de solidão.
É um mundo de faladores compulsivos o nosso. Compulsivos e auto-referentes. Não conheço estatísticas sobre isso, mas eu chutaria, por baixo, que mais da metade das pessoas só falam sobre si mesmas. Seu mundo torna-se, portanto, muito restrito. E muito chato. Por mais fascinantes que possamos ser, não é o suficiente para preencher o assunto de uma vida inteira.
Quando não escutamos o mundo do outro, não aprendemos nada. Acontece com o chefe que não consegue escutar de verdade o que seu subordinado tem a dizer. A priori ele já sabe – e já sabe mais. Assim como acontece com a mulher que não consegue escutar o companheiro. Ou o amigo que não é capaz de escutar você. E vice-versa.Tornamo-nos muito sozinhos no gesto de não escutar.
As pessoas não escutam porque escutar é se arriscar. É se abrir para a possibilidade do espanto. Escancarar-se para o mundo do outro - e também para o outro de si mesmo.
Escutar é talvez a capacidade mais fascinante do humano, por que nos dá a possibilidade de conexão. Não há conhecimento nem aprendizado sem escuta real. Fechar-se à escuta é condenar-se à solidão, é bater a porta ao novo, ao inesperado.
Escutar é também um profundo ato de amor. Em todas as suas encarnações. Amor de amigos, de pais e de filhos, de amantes. Nesse mundo em que o sexo está tão banalizado, como me disse um amigo, escutar o homem ou mulher que se ama pode ser um ato muito erótico. Quem sabe a gente não experimenta?
Escutar de verdade implica despir-se de todos os seus preconceitos, de suas verdades de pedra, de suas tantas certezas, para se colocar no lugar do outro. Seja o filho, o pai, o amigo, o amante. E até o chefe ou o subordinado. O que ele realmente está me dizendo?
Escutar de verdade é se entregar. É esvaziar-se para se deixar preencher pelo mundo do outro. E vice-versa. Nesta troca, aprendemos, nos transformamos, exercemos esse ato purificador da reinvenção constante. E, o melhor de tudo, alcançamos o outro. Acredite: não há nada mais extraordinário do que alcançar um outro ser humano. Se conseguirmos essa proeza em uma vida, já terá valido a pena.
Escutar é fazer a intersecção dos mundos. Conectar-se ao mundo do outro com toda a generosidade do mundo que é você. Algo que mesmo deficientes auditivos são capazes de fazer.
Fonte: Jornalista Eliane Brum

19 de setembro de 2009

DEPUTADO INFLUENTE

O deputado José Albuquerque(PSB), primeiro secretário da Assembléia Legislativa do Ceará e vice-presidente do partido, é considerado um dos deputados com maior influência nos trabalhos legislativos e no governo do Estado.
Zezinho Albuquerque(em pé na foto acima), irmão do ex-prefeito de Massapê, Jacques Albuquerque, sempre aparece nas listas feitas pelos próprios deputados, em diversos segmentos políticos ou quaisquer órgãos de comunicação do Ceará, não apenas influente, mais respeitado. Um parlamentar de cinco legislaturas seguidas, com muita desenvoltura nas articulações políticas. O deputado do PSB possui outro componente importante: é um aliado histórico do governador Cid Gomes e costuma exercer papel de intermediário entre os interesses da bancada de aliados e a cúpula do Governo. O atual governador quando esteve em Massapê em sua campanha política ao governo do estado, afirmou claramente: "o deputado Zezinho é um amigo, é um irmão de verdade, e se estou nessa empreitada , ele é um dos responsáveis".
E as afirmações de Cid tornaram-se evidenciadas quando seus irmãos, Ciro e Ivo, estiveram em 2008 aqui em Massapê, na campanha de Jacques Albuquerque. Ambos demonstraram grande carinho e amizade pelo deputado. Ciro comparecendo por duas vezes!
A atuação de Zezinho Albuquerque define, inclusive, as relações entre a base e o governador.

7 de setembro de 2009

INDEPENDÊNCIA OU MORTE? INDEPENDÊNCIA OU VIDA?

Na afamada frase ordenada por D. Pedro em dia 7 de Setembro de 1822 "INDEPENDÊNCIA OU MORTE", há muitos anos, plantava-se a semente para um país justo, sem discriminações, sem defesas de interesses pessoais, sem roubo de bens públicos ou de qualquer empresa organização, e sim com a busca da defensão dos interesses coletivos. Plantava-se, ali, a fé no futuro, a esperança da liberdade e igualdade.
Hoje, passados 187 anos, vivemos a utopia da frase promulgada. Ainda estamos na amargura da Independência. Morte das crianças e adultos que não têm o que comer, não têm a saúde pública para protegê-los, não tem saúde pública de verdade, não tem educação de qualidade. Enquanto isso, vereadores, prefeitos, deputados, senadores continuam com discursos e mais falácias, mas não fazem nada prático pela nossa população.
Em tempo, aqui em Massapê têm vereadores recebendo muitas diárias!
Vivemos na escravidão que continua a nos rodear, pois ficamos cegos para não vê-la, queremos esconder isso no quintal de nossa rua, de nosso bairro e de nossa cidade. São pessoas alienadas que se deixam enganar em campanhas políticas por promessas de empregos, promessas de fábricas, promessas de transformações utópicas e aqui em Massapê, sempre conhecemos este filme.
Mas agora este grito não poderá ser apenas de um homem, deve ser uníssono, de todo povo, com estridente força de transformação.
Ficamos mais fortes quando juntos gritarmos nossa INDEPENDÊNCIA DE VIDA, de mudar a história e transformar os próximos anos nos melhores anos de nossas vidas, pois assim as próximas gerações terão dias melhores ainda, livres, especiais, assim como hoje é, o primeiro de muitos dias independentes e viventes.

LIÇÃO DE SOLIDARIEDADE

O POVO BRASILEIRO É EXTREMAMENTE CARIDOSO.
Há mais de vinte anos, a REDE GLOBO juntamente ao UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), realizam a campanha "CRIANÇA ESPERANÇA" para remediar a precariedade de crianças e adolescentes. Nesse ano, cerca de R$ 8 milhões foram arrecadados e, supostamente, serão investidos em ações sociais para os que vivem na indigência em subúrbios do país.
Notadamente, isso mostra como os brasileiros são perfeitamente solidáririos às ações e movimentos de causas sociais.
Aqui em Massapê o povo gosta de ajudar. Exemplo palpável para isso é que quando trabalhávamos em uma emisora comunitária da cidade, a nossa querida Rádio Líder, realizávamos campanhas em prol de pessoas necessitadas e o povo exercia esse sentido vinculando o indivíduo à vida, ao interesses e à vontade em doar num ato humanitário.
Sabemos de pessoas, aqui da cidade, que ajudam nas doações do "Criança e Esperança", e não é do meu conhecimento que uma pequena parte desses valores seja revestida a crianças e adolescentes do nosso município. E o que falta? Faltam ações, vontades e lutas dos nossos representantes em buscar subsídios junto às Entidades em que os brasileiros decidem de quanto vão ajudar neste programa.

4 de setembro de 2009

CASAMENTO GAY DIVIDE PARLAMENTARES RELIGIOSOS

Foto do Site: Mídia Independente
Políticos ligados a igrejas têm opiniões divergentes e, às vezes, conflitantes, sobre união civil de pessoas do mesmo sexo. Congresso em Foco conversou com católicos e evangélicos.
Se contra o aborto praticamente há uma unanimidade entre os religiosos de esquerda, as temáticas sobre os homossexuais dividem essa bancada. Há os que defendem todos os pleitos de gays, lésbicas e travestis e há os que têm restrições em diversos pontos.
Favorável à união civil dos homossexuais e até à adoção de crianças por eles, caso isso seja comprovado por psicólogos, o senador paranaense Flávio Arns é contra o projeto de lei com o objetivo de criminalizar a homofobia. Ele diz que, na verdade, a proposta acaba com o direito à crítica e considera discriminação qualquer restrição a atos amorosos em público.
O senador católico acredita que os parceiros gays e lésbicas devem ter todos os direitos fundamentais, como pensão e herança. Concordam com ele o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) e o deputado Mauro Nazif (PSB-RO), filho de palestino, mas também católico.
Porém, Mauro Nazif discorda do chamado “casamento gay”, matrimônio celebrado entre duas pessoas do mesmo sexo. O evangélico Gilmar Machado (PT-MG) também. “A Bíblia diz que o casamento foi feito para macho e fêmea.”
Machado se posiciona pessoalmente contra a adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo, mas destaca que a lei não proíbe a atitude. “Não existe para mim casal homossexual”, explica.
Sem discussão por lei
Inácio Arruda diz que aborto e temáticas homossexuais não são fundamentais para o país, como saúde e educação. “Com isso nunca me preocupei. Será que esse é o problema central nosso? E emprego, educação e saúde?”, questiona o senador do PCdoB.
Outro a defender que não devem ser feitas leis sobre esses assuntos é o evangélico Walter Pinheiro (PT-BA). “As pessoas estão querendo transformar coisas de foro íntimo em amarras, em legislação”, diz ele, atualmente licenciado por ser o secretário de Planejamento da Bahia.
Pinheiro tem o seguinte raciocínio: o Estado deve usar o princípio Constitucional de defender a vida. Assim, não pode, por exemplo, ser negado tratamento médico a uma mulher que esteja sofrendo em decorrência de aborto. “Não dá para perguntar se o aborto foi provocado na casa dela ou se era espontâneo. Tem que ser atendida”, diz. O deputado licenciado acredita que as clínicas de aborto clandestino devem ser combatidas pelo Ministério da Saúde.
E reforça que não é necessária nenhuma lei a mais sobre a união civil e a adoção por homossexuais. Pinheiro diz que os problemas de herança, pensão e patrimônio são resolvidos com a legislação atual e com as decisões da Justiça. E que a adoção das crianças por gays e lésbicas já é permitida, apesar de ele ser pessoalmente contra.
MEU PONTO DE VISTA: O casamento gay enfrenta dificuldades ligadas a certas restrições legais. Uma delas é a imposssibilidade de conceituar a união entre duas pessoas do mesmo sexo como família. Ao meu entender, família é tão-somente a união formada por um homem e uma mulher. Lí, certa vez, no Código Civil que é proibida a declaração conjunta do imposto de renda. Não é permitida a adoção de crianças pelo casal, apenas por solteiros, mas as leis sempre são mudadas.
Em 2003, a Suprema Corte de um Estado americano concedeu o direito ao casamento civil para casais gays e lésbicas, o mesmo direito a casamento civil que os heterossexuais. Com a sentença, gays e lésbicas daquele Estado podem casar-se "de papel passado". Tudo começou quando um grupo de gays e lésbicas pleiteou licenças de casamento, que foram negadas por um juiz de primeira instância. O grupo recorreu e ganhou. O Estado americano passou a integrar a exígua lista de lugares do mundo onde gays e lésbicas podem trocar alianças diante de um juiz. A Holanda foi a primeira na adoção de leis que permitem o casamento de gays, seguida pela Bélgica. No Canadá, há Estados onde existe tal permissão. França, Portugal e Alemanha admitem apenas a união civil, e com restrições.
É um assunto polêmico, respeito à decisão de cada um, mas é uma desordem moral contra o plano de criação de Deus, uma vez que Ele fez o homem e a mulher não apenas para amar um ao outro, mas também para procriar.
É uma vergonha imensa para os pais verem seus filhos adentrar por um caminho que com certeza Deus não prescreveu na criação
Não tenho nada contra os homossexuais, desde que haja uma relação de respeito deles para com a sociedade.

1 de setembro de 2009

PROMESSA É DÍVIDA: REPASSES FEDERAIS À PREFEITURA MUNICIPAL DE MASSAPÊ EM 01.01.2009 A 31.08.2009 - RECEITAS DIRETAS

Conforme prometemos no dia 12 de agosto, estamos informando aos nossos milhares de leitores os repasses federais destinados à Prefeitura Municipal de Massapê, como forma de prestação de contas.
Esta prestação de contas deveria ser feita aos cidadãos e cidadãs massapeenses que pagam seus impostos como determinam às leis.
É dever de todo administrador justificar seus gastos junto a população, realizar sua prestação de contas, expor à população documentos contendos cópias de todos os empenhos e notas fiscais das compras e dos serviços prestados aos seus munícipes.
O cidadão deve fiscalizar os atos da Administração Pública que, antes de mais nada, são praticados visando o bem comum. Um Estado Democrático de Direito pressupõe uma Administração Pública mais transparente, pois a transparência torna os governos mais democráticos e não há melhor fiscalização dos atos oficiais do que uma opinião pública bem informada.
01.01.09 a 31.01.09.........................R$ 2.345.208,03
01.02.09 a 28.02.09.........................R$ 2.267.606,39
01.03.09 a 31.03.09.........................R$ 2.164.201,75
01.04.09 a 30.04.09.........................R$ 4.230.018,09
01.05.09 a 31.05.09.........................R$ 3.026.359,86
01.06.09 a 30.06.09.........................R$ 3.014.041,73
01.07.09 a 31.07.09.........................R$ 1.671.892,10
01.08.09 a 31.08.09.........................R$ 1.928.149,78
TOTAL GERAL..............................R$ 20.647.549,73 (VINTE MILHÕES, SEISCENTOS E QUARENTA E SETE MIL, QUINHENTOS E QUARENTA NOVE REAIS E SETENTA E TRÊS CENTAVOS). É muito dinheiro!
Fonte: Banco do Brasil
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial